Dra Georgia Machado Cirurgia Plástica em Fortaleza

Um novo estudo escocês de larga escala mostra que estar com um Índice de Massa Corporal (IMC) saudável ao longo da gravidez é o melhor jeito de evitar complicações.

Os resultados mostraram que as mulheres com um IMC que estava muito alto ou muito baixo se encontravam em uma situação de maior risco de complicações. Publicado na semana passada online no BJOG: An International Journal of Obstetrics and Gynaecology, o estudo envolveu dados de quase 110 mil mulheres grávidas na Escócia.

“Os benefícios de longo prazo na redução da obesidade materna vão mostrar melhorias, não só nos resultados de saúde das mães e de seus bebês, mas na carga de trabalho e do custo para serviços de maternidade atuais”, disse a co-autora da pesquisa Fiona Denison, do Instituto de Pesquisa Médica da Rainha (Queen’s Medical Research Institute), em Edimburgo.

No estudo, as gestantes foram divididas em cinco grupos de acordo com seu IMC. Comparadas com as mulheres de peso normal (IMC de 18,5 a 24,9), aquelas em outras categorias de peso (tanto com baixo peso quanto com excesso de peso) tiveram mais complicações e hospitalizações mais longas depois que o bebê nasceu.

Mulheres severamente obesas (com IMC maior que 35) apresentaram um risco três vezes maior de hipertensão e diabetes gestacional em comparação às mulheres normais, mostraram os resultados.

As mulheres com baixo peso (de IMC inferior a 18,5) tiveram 8% mais risco de internação hospitalar, enquanto o risco das mulheres acima do peso ideal (um IMC de 25-29,9), obesas (com IMC de 30-35) e severamente obesas cresceu mais substancialmente, 16%, 45% e 88%, respectivamente.

Acesse o estudo (em inglês):
http://dx.doi.org/10.1111/1471-0528.12443

Espaço Georgia Machado

Dra Georgia Machadocirurgiã plástica em Fortaleza, Diretora Técnica do Espaço Georgia Machado

Fonte: Relaxnews

Responda