Os sinais de estresse estão presentes na vida de qualquer pessoa. A questão é que, quanto mais tempo você demorar a reagir a estes sinais, maiores são a chance de danificar o corpo e a mente e mais difícil será reparar o dano.

Estresse refere-se a uma maneira como seu corpo reage quando exposto a fatores desgastantes. Você sempre reage de alguma maneira: irritação, frustação, exaustão ou doença. Mas para que o estresse resulte numa ação positiva e adequada, é preciso que ele se adapte, tanto na intensidade como na duração, às demandas do fator estressante específico.

Para controlar o estresse e fazer melhor uso possível dele é preciso que você esteja consciente do que lhe acontece mental e fisicamente se exposto a esses fatores; que fatores são esses, que métodos usar nesse controle.

Os tipos de estresse são:

– Estresse negativo: aquele em excesso. Isso acontece quando a pessoa ultrapassa seus limites e esgota sua capacidade de adaptação. O organismo fica destruído de nutrientes e a energia mental fica reduzida. A produtividade e a capacidade de trabalho ficam muito prejudicadas. A qualidade de vida sofre danos. Posteriormente a pessoa de vir a adoecer.

– Estresse positivo: é o estresse em sua fase inicial, a do alerta. O organismo produz adrenalina que dá ânimo, vigor e energia, fazendo a pessoa a produzir mais e ser mais criativa. É a fase da produtividade, como se a pessoa estivesse o tempo todo em alerta. Porém ninguém consegue ficar nesse  estágio por muito tempo.

– Estresse ideal: acontece quando a pessoa consegue aprender o manejo do estress e gerencia a fase de alerta de modo eficiente, alternando entre está em alerta e sair do alerta. Para quem consegue isto o ” céu é o limite”.

Alguns sintomas, que o corpo apresenta, devem ser observados para não cair na fase de exaustão :

 

Sono:

Fase de alerta : Dificuldade de dormir muito acentuada pela adrenalina.

Fase de Resistência: Sono normalizado;

Fase de Quase-exaustão: Insônia. Acorda muito cedo e não consegue voltar a dormir;

Fase de exaustão: Dorme pouco. Acorda cedissímo e não se sente revigorado pelo sono.

 

 

 

 

Sexo:

Fase de alerta : Libido alta. Muita energia. O sexo ajuda a relaxar.

Fase de Resistência: Libido começa a baixar. Poca energia. O sexo não apresenta interesse;

Fase de Quase-exaustão: Libido quase desaparece. A energia para o sexo está sendo usada na luta contra o stress e a pessoa perde o interesse.

Fase de exaustão: Libido desaparece quase que completamente.

 

Trabalho:

Fase de alerta : Grande produtividade e criatividade. Pode varar a noite sem dificuldade.

Fase de Resistência: A produtividade e a criatividade voltam ao usual, mas às vezes não consegue ter idéias novas.

Fase de Quase-exaustão: A produtividade e a criatividade caem drasticamente. Consegue somente dar conta da rotina, mas não cria e nem tem idéias originais.

Fase de exaustão: Não consegue trabalhar mais como normalmente. Não produz. Não consegue se concentrar e nem decidir. O trabalho perde o interesse.

Corpo:

Fase de alerta : Tenso. Músculos estressados. No início, aparece taquicardia, sudorese, sem fome, sem sono, mandíbula tensa.

Fase de Resistência: Cansado mesmo tendo dormido bem. O esforço de resistir ao stress se manifesta em uma certa sensação de cansaço;

Fase de Quase-exaustão: A memória é muito afetada e a pessoa esquece fatos do dia a dia, até mesmo seu próprio telefone. Doenças começam a surgir.

Fase de exaustão: Doenças graves podem ocorrer como depressão, úlceras, pressão alta, diabetes, enfarte, …

 

Humor:

Fase de alerta : Eufórico. Pode ter grande irritabilidade devido a tensão física e mental experimentada.

Fase de Resistência: Cansado. Só se preocupa com a fonte de seu estresse. Repete o mesmo assunto e se torna tedioso.

Fase de Quase-exaustão: A vida começa a perder brilho, ficando tudo sem graça. Não quer se socializar.

Fase de exaustão: Não se socializa. Foge dos amigos. Não vai as festas. Perde o senso de humor e fica apático. Muitas pessoas tem vontade de morrer.

Os tratamentos mais eficazes para o estresse patológico podem ser psicoterapia e p uso de psicofármacos em casos mais crônicos e agudos.

Atividades físicas moderadas, Hobbies, massagem relaxante, dança, relaxamentos podem ser úteis ao tratamento da doença em qualquer nível.