Fitoterapia (do grego therapeia = tratamento e phyton = vegetal) é o estudo das plantas medicinais e suas aplicações na cura das doenças.

Vantagens e desvantagens

Há uma grande quantidade de plantas medicinais, em todas as partes do mundo, utilizadas há milhares de anos para o tratamento de doenças, através de mecanismos na maioria das vezes desconhecidos. O estudo desses mecanismos e o isolamento do princípio ativo (a substância ou conjunto delas que é responsável pelos efeitos terapêuticos) da planta é uma das principais prioridades da farmacologia.

Enquanto o principio ativo não é isolado, as plantas medicinais são utilizadas de forma caseira, principalmente através de chás, ultradiluições, ou de forma industrializada, com extrato homogêneo da planta.

Ao contrário da crença popular, o uso de plantas medicinais não é isento de risco. Além do princípio ativo terapêutico, a mesma planta pode conter outras substâncias tóxicas, a grande quantidade de substâncias diferentes pode induzir a reação alérgica, pode haver contaminação pora agrotóxicos ou por metais pesados.

Além disso, todo princípio ativo terapêutico é benéfico dentro de um intervalo de quantidade – abaixo dessa quantidade, é inócuo e acima disso passa a ser tóxico. A variação de concentração do princípio ativo em chás pode ser muito grande, tornando praticamente impossível atingir a faixa terapêutica com segurança em algumas plantas aonde essa faixa é mais estreita.

Na forma industrializada, o risco de contaminações pode ser reduzida através do controle de qualidade da matéria prima, mas mesmo assim a variação na concentração do princípio ativo em cápsulas pode variar até em 100%. Nas ultradiluições, como na homeopatia, aonde não há o princípio ativo na apresentação final, não há nenhum desses riscos anteriores, mas também não há nada que indique que haja qualquer efeito benéfico.

À medida que os princípios ativos são descobertos, eles são isolados e refinados de modo a eliminar agentes tóxicos e contaminações, e as doses terapêuticas e tóxica são bem estabelecidas, de modo a determinar de forma precisa a faixa terapêutica e as interações desse fármaco com os demais.

No entanto, o isolamento e refino de princípios ativos também não é isento de riscos. Primeiro porque pretende substituir o conhecimento popular tradicional e livre, testado há milênios, por resultados provindos de algumas pesquisas analítico-científicas que muitas vezes são antagônicas. Segundo, porque a simples idéia de extrair princípios ativos despreza os muitos outros elementos existentes na planta que, em estado natural, mantêm suas exatas proporções.

Alguns exemplos:

1. Dor de cabeça (enxaqueca)
Chá de casca de laranja fresca.

2. Dor de cabeça (proveniente do estômago e de bebidas)

Chá de boldo

3. Dor de cabeça de tensão pré-menstrual

Suco de melão: bater no liquidificador a polpa do melão juntamente com as
sementes; coar e tomar dois copos por dia.

4. Tosse
Xarope de cenoura:
Bater a cenoura no liquidificador, coar na peneira e depois acrescentar mel
e ferver até virar um xarope. Cura até coqueluche.
Para criança 1 colher de sopa 3 X ao dia; para adulto: 6 X ao dia.

 

 

 

 

 

5. Colesterol
Berinjela: Cortar a berinjela em 1 litro d’água, deixar na geladeira por
uma noite e de manhã pingar suco de 2 limões.

Tomar durante o dia. Queima as moléculas de gordura do sangue, então o sangue, que precisa de gordura, passa a buscá-las nas reservas, por isso funciona como emagrecedor, não podendo ser usado para por pessoas que não querem emagrecer.

6. Câncer de Próstata

Tomate: Cortar o tomate em cruz e ferver em 1 litro d’água fazendo um chá.
Tomar várias vezes ao dia.

7. Brócolis

Para câncer de mama.

 

8. Rabanete
Para gripe e tosse (fazer igual ao xarope da cenoura)

9. Semente do Quiabo
Funciona como repelente de mosquitos

10. Garganta
Abacaxi: fazer gargarejo com suco de abacaxi, temperado com uma pitada de
sal para cortar a acidez.

Memória
Chá da casca do abacaxi.

11. Aftas, Azia, Gastrite e Ulcera
Provenientes do estômago. Tratar com batata inglesa que cura azia, gastrite
e úlcera.
Descascar a batatinha, ralar e depois espremer até sair o leite. Tomar 1
colher, em jejum, após escovar os dentes.

Para azia: tomar durante 1 semana

Para gastrite: tomar durante 2 semanas

Para úlcera: tomar durante 1 mês.

12. Rins

Chá de folha de abacate

13. Olhos
Para limpeza dos olhos: pingar algumas gotas do leite da maçã (extraído da mesma forma da batatinha inglesa)

Pode-se limpar também com umas gotinhas de limão, mas este arde.

 

14. Pressão alta
Chá de alho;
Chá de alpiste;
Suco de pepino: bater no liquidificador com água, coar, e tomar o suco.
(este regula a pressão, tanto a alta como a baixa)

 

15. Osteoporose

Suco de pepino (mesma receita da pressão alta)

16. Banana não combina com abacaxi
A banana contém cálcio e é bom para o crescimento, mas se misturar com o
abacaxi faz efeito contrário.

17. Melancia
É uma fruta monofágica, ou seja, egoísta; não realiza digestão juntamente
com outros alimentos, por isso só deve ser ingerida com estômago vazio. Do
contrário ela interrompe o processo digestivo de outros alimentos para que
seja realizada a sua própria digestão.
É um erro consumir melancia como sobremesa.

 Débora Fonseca

Nutricionista – CRN 6ª Região nº. 4014

Responda