Obesidade na gravidez está ligada à maior risco de morte prematura

Filhos-de-mães-obesas-têm-mais-risco-de-morte-prematura Dra Georgia Machado Cirurgia Plástica em Fortaleza

Os filhos de mães obesas têm 35% mais risco de morrer prematuramente na idade adulta, revela um estudo publicado nesta quarta-feira pelo British Medical Journal (BMJ), que alerta sobre a crescente epidemia de obesidade.

Os pesquisadores analisaram na Escócia 37.709 filhos de 28.540 mulheres nascidos entre 1950 e 1976.

Durante o estudo, estas pessoas tinham entre 34 e 61 anos, e 6.551 já haviam morrido, por diferentes causas.

No momento de dar à luz, 21% das mães tinham sobrepeso (índice de massa corporal – IMC – entre 25 e 29,9) e 4% eram obesas (IMC igual ou superior a 30).

Segundo os pesquisadores, o risco de morte prematura aumenta em 35% entre os adultos nascidos de mães obesas e em 11% no caso de mães com sobrepeso em relação ao grupo nascido de mães com peso normal.

Os adultos nascidos de mães obesas têm 42% mais probabilidade de ser hospitalizados por problemas cardiovasculares que os demais, destaca o estudo.

“É necessário se criar urgentemente estratégias de intervenção para controlar o peso antes da gravidez”, advertem os autores, lembrando que uma a cada cinco mulheres grávidas na Grã-Bretanha são obesas.

Nos Estados Unidos, cerca de 64% das mulheres em idade fértil têm sobrepeso, incluindo 35% obesas, e a tendência é similar na Europa.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, 1,4 bilhão de pessoas maiores de 20 anos tinham sobrepeso em 2008, incluindo 300 milhões de mulheres e 200 milhões de homens obesos.

Os casos de obesidade têm se multiplicado em escala mundial desde 1980, quando o percentual de mulheres obesas na hora do parto era de 4%, lembra a professora Rebecca Reynolds, autora do estudo.

Oferecimento:

Espaço Georgia Machado

Dra Georgia Machado, cirurgiã plástica em Fortaleza, Diretora Técnica do Espaço Georgia Machado

Fonte: Relaxnews

Responda