Dra Georgia Machado Cirurgia Plástica em Fortaleza

Reforçar a primeira refeição do dia melhora as chances de gravidez em mulheres com Síndrome de Ovário Policístico (SOP), problema menstrual comum.

Novo estudo divulgado nessa semana mostra que o horário das refeições pode alterar a resistência à insulina e os níveis de hormônio, além do peso, já comprovado em outras pesquisas. Transformar o café da manhã na maior refeição do dia pode aumentar as chances de gravidez de mulheres com SOP, problema que afeta cerca de 10% da população em idade reprodutiva.

Aquelas que têm a síndrome se tornam resistentes à insulina, o que pode resultar em aumento de hormônio masculino, chamados de andrógenos, interferindo na infertilidade.

Uma equipe de pesquisa da Universidade Hebraica de Jerusalém e da Universidade de Tel Aviv estudou 60 pacientes com SOP com idade entre 25 e 39, em um período superior a 12 semanas. Cada sujeito foi orientado a comer cerca de 1,800 calorias por dia, um pouco abaixo da recomendação diária para mulheres, mas com metade das participantes tendo a principal refeição do dia no café da manhã, e a outra metade, no jantar.

Os resultados, publicados no Clinical Science, mostrou que níveis maiores de ovulação foram identificados no grupo que ingeriu mais calorias, em torno de 980, no café da manhã. Entre esse mesmo grupo, níveis de resistência à glicose e insulina caíram em 8%, enquanto os níveis andrógenos caíram em 50%. Aquelas que comeram mais no jantar não demonstraram nenhuma mudança.

“A pesquisa claramente demonstra que de fato o consumo de calorias ao longo do dia é muito importante, mas o momento quando elas são consumidas é mais importante ainda “, afirmou o responsável pela pesquisa, professor Oren Froy.

Acesse o estudo em: http://www.clinsci.org/cs/125/cs1250423.htm.

Espaço Georgia Machado

Dra Georgia Machadocirurgiã plástica em Fortaleza, Diretora Técnica do Espaço Georgia Machado

Fonte: Relaxnews

Responda