Dra Georgia Machado Cirurgia Plástica em Fortaleza

De acordo com nova pesquisa realizada pela Universidade da Califórnia, em Berkeley, a alegria no casamento pode ser creditada à genética.

Pesquisadores descobriram um gene envolvido na regulação da serotonina que pode prever o quanto nossas emoções afetam nossos relacionamentos.

“O eterno mistério é o que faz um parceiro ser tão antenado ao clima emocional em um casamento e o outro ser tão displicente”, afirmou o autor e psicólogo Robert W. Levenson. “Com essas descobertas genéticas, agora podemos entender mais sobre o que determina o quão importantes são as emoções para diferentes pessoas”, completou.

A equipe encontrou a relação entre realização com o relacionamento e um gene variável, ou alelo, conhecido como 5-HTTLPR. Todos os humanos herdam uma cópia dessa substância de cada parente.

Os participantes do estudo com dois alelos 5-HTTLPR curtos são os que aparentaram ser mais infelizes nos seus casamentos quando houvesse muita emoção negativa, como raiva e desprezo, e mais felizes na situação contrária, ao ter sentimentos como humor e afeto. Em contraste, aqueles com um ou dois alelos compridos se incomodavam bem menos com o teor emocional dos seus relacionamentos. O estudo contou com 100 pessoas casadas, que foram estudadas de acordo com o genotipo e foram observadas com os parceiros ao longo de 13 anos.

“Nós sempre estamos tentando entender a receita para bons relacionamentos, e a emoção continua surgindo como ingrediente importante”, afirmou Levenson.

Os novos resultados não significam que os casais com diferentes variações de 5-HTTLPR são incompatíveis, mas que aqueles com alelos curtos têm chance maior de sobreviver a um bom relacionamento, e de sofrer em um ruim.

“Os indivíduos com alelos curtos podem ser como flores de estufa, desabrochando em um casamento em que o clima emocional é bom, e murchando quando é ruim”, afirmou a pesquisadora Claudia M. Haase. “Consequentemente, pessoas com um ou dois alelos compridos são menos sensíveis às alterações emocionais”, completou.

Os resultados foram publicados ontem na Emotion.
Acesse: http://psycnet.apa.org/?&fa=main.doiLanding&doi=10.1037/a0033761.

Espaço Georgia Machado

Dra Georgia Machadocirurgiã plástica em Fortaleza, Diretora Técnica do Espaço Georgia Machado

Fonte: Relaxnews

Responda