A gelatina combate a flacidez, pois estimula a produção de eu tenho certeza de que você já ouviu isso alguma vez, ou até mesmo consome a gelatina com a intenção de manter a pele firme. Mas se você fizer uma pesquisa no Google, vai encontrar vários tipos de informações: algumas que defendem o uso da gelatina com a intenção de combater ou prevenir a flacidez, ou até mesmo para emagrecer, e outras dizendo que isso não é verdade.

Ficou na dúvida, agora? Então eu vou lhe ajudar a esclarecer esse assunto, para você decidir como vai utilizar a gelatina na sua alimentação saudável. Para descobrir o que a gelatina pode fazer pela sua alimentação (e também o que ela não pode), precisamos voltar um pouco aos assuntos de: composição dos alimentos e processo de digestão.

Composição da gelatina

1

Você sabe do que é feita a gelatina? Ela é feita de colágeno: uma proteína que está presente no corpo animal e tem a função de fornecer firmeza e elasticidade às diversas estruturas do corpo. Ele está presente não só na pele, mas em diversos outros locais onde é necessária, como por exemplo nos cabelos, nos músculos, nos nervos, nas articulações. Então, a gelatina que compramos no supermercado é extraída dessas partes da carne, principalmente da carne bovina.

Agora que já entendemos a composição da gelatina, e antes de chegar ao processo de digestão, vamos nos aprofundar um pouco na composição de uma proteína.

A proteína é formada por aminoácidos. Podemos pensar nos aminoácidos como pequenas peças de um jogo de dominó: cada uma tem suas próprias características, e ao se ligarem formam uma sequência única, e no caso dos aminoácidos, essa sequência é a proteína.

2

Este assunto é um pouco mais complexo, pois os aminoácidos se ligam, formando uma espécie de fita, é o que você pode ver na figura acima e o que chamamos de estrutura primária, depois essa fita se enrola, formando uma espécie de escada, que é a estrutura secundária, depois essa estrutura se enrola ainda mais…e este artigo já está começando a ficar enrolado, você não acha? Mas podemos ficar por aqui nesse assunto, pois aqui o que é importante para entendermos é que as estruturas do nosso corpo são formadas por proteínas, que são “feitas” de aminoácidos.

Quando ingerimos proteínas, o nosso sistema digestivo “quebra” as ligações entre os aminoácidos dessas proteínas, e eles ficarão livres. Então, nosso organismo utiliza esses aminoácidos para construir as proteínas que ele estiver precisando naquele momento.

Nosso corpo tem proteína em grande parte das células. Você sabe que o corpo se regenera todo o tempo: muitas células morrem e o corpo precisa fazer outras para repor. E nesse processo são necessários os nutrientes: não só a proteína, mas também os carboidratos, as gorduras e alguns “ajudantes” como os minerais e as vitaminas.

Resumindo tudo que vimos até aqui:

3

Sabendo isto, agora conseguimos voltar à questão da gelatina: como é possível garantir que o colágeno presente na gelatina, depois de ser quebrado em aminoácidos, será utilizado para construir exatamente colágeno no nosso corpo?

Realmente não tem como garantir que esse será o resultado, pois esses aminoácidos serão utilizados para construir qualquer proteína que for necessária naquele momento.

Portanto, se você prefere a gelatina como sobremesa porque acha vai estimular a produção de colágeno, ou até mesmo compra as cápsulas de colágeno, pensando que ele vai direto para a região do seu corpo que você deseja “firmar”, pense um pouco melhor sobre o assunto.

Mas aí você pode me perguntar: Puxa, mas então não existe nada que eu possa fazer para estimular a produção de colágeno? Existem, sim, algumas ações que você pode tomar se deseja estimular a produção de colágeno pelo seu corpo.

1° – continue ingerindo proteínas, mas em uma quantidade adequada, pois em excesso não é bom. Se você gosta de gelatina, consuma como uma das fontes de proteína que você utiliza na sua alimentação, mas lembre-se que também existem outras fontes de proteína (e você precisa consumir todas), que podem se transformar em colágeno no seu corpo.

2° – certifique-se de que estão presentes, em sua alimentação, outros nutrientes que podem ajudar o seu corpo no processo de produção do colágeno. Como exemplo, podemos citar:

– as vitaminas do complexo B,

– alimentos de cor verde-escura que contém ácido fólico,

– antioxidantes como a vitamina C,

– aveia e leguminosas que contém silício.

Talvez, agora, eu tenha despertado em você a curiosidade de saber como esses alimentos podem estimular a produção de colágeno, mas este já é assunto para um novo artigo. Acompanhe o meu blog para ver a continuação desse assunto.

Por enquanto, eu quero lhe deixar mais uma questão relacionada e  assunto: e os cremes com colágeno que são muito consumidos com a intenção de firmar a pele e em tratamentos para flacidez? O que você acha? Será que eles estimulam a produção de colágeno no local em que são aplicados? Eu vou lhe deixar com essa dúvida, enquanto vou preparando um outro artigo a respeito desse assunto.

Algum de seus amigos pode estar precisando desta informação… Então, lembre-se de compartilhar este artigo com eles!


Sobre a autora:

Farmacêutica e autora do Blog Aprender Saúde (www.aprendersaude.org), me chamo Beatriz, e a realização da minha vida é estudar, principalmente a interação do nosso corpo com os alimentos, o ambiente e os medicamentos, assim como pesquisar e experimentar formas de tornar essa interação mais agradável.

Para conhecer melhor o meu trabalho, faça uma visita ao meu blog, e participe da minha lista VIP de seguidores por e-mail, para a qual eu envio dicas exclusivas de emagrecimento saudável.

Responda